Enfim, 2010!

Nossa, ando tão sem tempo que imaginei que meu primeiro post fosse acontecer na virada do ano 2010/2011...rs

Mas o ano de 2010 tem sido fantástico e, apesar de cansado, não há o que reclamar pessoalmente.

Então, deixo uma recente poesia que acabei de fazer para amigos que passam que por aqui.



Eu tento em vão não sentir
o que meus olhos provam
mas possui-me de você
em várias doses.

São encontros escusos
nem sempre à minha maneira
que me causam dor, estranheza
toda noite, toda vez.

São segundos em horas
e são horas em segundos
o palco é todo nosso
a platéia nem sempre
e é peça sem fim.

Depois tem sempre um café
e o dia que já finda
e tudo outra vez.

Logo estaremos
Mais uma vez
ainda que longe
assim eu desejo
a chorar o desprezo
que a ti, a ausência,
nunca mais, outra vez.

Te amo, Nana!

Hoje foi dia dela: Nana Caymmi. Sua voz única, que seduz e emociona é sentimento que não finda. É como canção de ninar... a gente adorme...